quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O funâmbulo segue em frente e desenha o futuro


'O funâmbulo segue em frente e desenha o futuro'
óleo sobre tela
80cm por 60cm
2017
ZMB

(A partir deste desenho de 2002)

How ironic


Este desenho foi realizado nos meses que antecederam a minha terceira hospitalização.
Desenhei no verso de uma página de um livro fotocopiado.
Este e mais outros desenhos estiveram esquecidos até este ano de 2017.
Este ano reparei que este desenho, lendo-o de baixo para cima, poderia ter o título:
O passado, o presente e o futuro;

sendo que o presente se referia ao ano de 2002.
O presente na corda-bamba, o funâmbulo seguindo o seu caminho por entre o caos.
O futuro ser passar o tempo a desenhar, a pintar, ou qualquer acto de criação com as mãos.
O passado seria os anos de aprendizagem e a oscilação de emoções durante a universidade.
O passado pensei-o uma vez quando disse a uma namorada que a minha vida era uma seca,
demasiado estável, sala de aula, casa, bilhar com a namorada, etc, poderia estar hoje casado com ela
caso ela não me tivesse mandado passear.
Nessa conversa, e que mais tarde transformei em conto, eu falei-lhe do preço justo,
do quanto é justo pagar para obter algo, qualquer conforto, qualquer coisa: food vs. price,
imaginei um talho e uma balança, de um lado, os bifes e do outro lado, os pesos, os dólares.
Neste desenho pus, na parte inferior, uma balança e do lado direito,
a oscilação, o comboio, a natureza ingénua do campo, a morte do amor;
e do lado esquerdo a grande cidade
(ver pintura em cima e os arranha-céus no lado inferior esquerdo, inspirados no trabalho de
Little Annie e seu livro 'Meditation in chaos')
e o preço a pagar pela 'island of love'

Penso que esta metáfora, que eu desenhei num estado de quase-louco,
se cumpriu no Tempo com apenas ligeiras diferenças.
O futuro que eu previa em 2002 cumpriu-se em 2017.
Passo hoje o meu tempo a pintar.
Valeu a pena ser teimoso e nunca desistir.

Sem comentários:

Publicar um comentário