sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Se tivesse sido um homem respeitável, um desses homens que ostentam cuecas de flanela...

'
Quando acordei, tinha a boca pastosa e uma dor de cabeça extraordinária. Caminhei pelo corredor em direcção ao refeitório dos oficiais. Ninguém. Abri um trinchante, e descobri um frasco de cerveja e um prato com manteiga salgada e pão negro.
Logo a seguir, vendo-me casualmente ao espelho, reparei que estava completamente nu, o que era fácil de explicar, pois no momento em que descobrira o couraçado foi tamanha e tão extraordinária a minha alegria que não me lembrei nem remotamente da roupa que deixara pendurada a secar ao sol. A corda com que me atara abrira-me uma ferida na cintura. Deu-me para pensar que, por mais fantasmal que fosse o couraçado, por decoro não podia andar nu entre os espectros. Sabe-se lá o que podiam pensar de mim. Tais eram os meus escrúpulos terrestres. Meditativo, ocupei a poltrona à cabeceira da mesa e, enquanto barrava cuidadosamente uma fatia de pão com manteiga, disse de novo para mim mesmo que só o meu irregular comportamento me pudera arrastar para tais aventuras. Não tinha desculpa. Se tivesse sido um homem respeitável, um desses homens que ostentam cuecas de flanela, em vez de me achar agora sozinho e perdido a bordo de um barco fantasma, encontrar-me-ia no seio da minha família, possivelmente sentado a uma mesa real, usufruindo dos bens concedidos aos homens honestos. Recordei os conselhos que na escola comigo desperdiçara uma santa e digna professora, lembrei-me dos avisos que as companhias de seguros metem nos eléctricos. Avisos desses em que se vê um progenitor acompanhado por dois catraios escrupulosamente penteados, sentados a uma mesa. Estão a acabar o seu lanche em harmonia, e de súbito os meninos apontam ao pai, pela janela, um truculento vagabundo que pede esmola porque não praticou a santa virtude da poupança, e bati involuntariamente no peito com ambas as mãos. O meu desespero não me impediu de dizimar o pão com manteiga. Não era eu, de certo modo, a representação daquele vagabundo? Tudo aquilo me aconteceu porque tinha deixado de me dar com pessoas respeitáveis e começara a relacionar-me com um marinheiro bêbedo e louco. Agora encontrava-me a bordo de um fantasmagórico couraçado, entre oficiais esqueléticos, quando a esta mesma hora podia estar a uma mesa de café, a beber vermute na companhia de dois respeitáveis senhores que me falariam do estado das suas respectivas senhoras ou da engorda paulatina dos seus primogénitos. A tais extremos conduziam as más acções. Eis o resultado de não ter princípios morais nem religiosos. Aquilo afligiu-me tanto que insultei Deus repetidas vezes, mas como as minnhas inauditas blasfémias não podiam remediar a situação e estava mais nu que Adão, determinei que a primeira dificuldade a resolver era arranjar roupa, e então, saindo do divã de couro, dirigi-me à camarata onde, em noites anteriores, se encontrava o oficial espectral a estudar a carta náutica.
'

páginas 229-231

''Escritor Fracassado e outros contos''
Roberto Arlt
Tradução de Miguel Filipe Mochila
Edição Livraria Snob


St. Peter's keys all bloody



Quando os C93 eram heréticos.

sábado, 14 de setembro de 2019

Zeca Pirata



This do-it-yourself cd package with booklet was edited and distributed by Casa Viva at Porto, Portugal around July 2010 https://casa-viva.blogspot.com https://www.discogs.com/Various-Zeca-... Tracklist 01: Zeca Afonso, 1984 02: Os Vampiros : Mário, O Trovador 03: Balada do Sino : Erro! 04: Era de noite e levaram : dUASsEMIcOLCHEIASINVERTIDAS 05: Maria Faia : Sívia Penide 06: Gran Doula Vilã Morena : Hyaena Fierling Reich 07: A morte saiu à rua : KNÖTARÖT 08: A caminho de Urga : Pedro::Diana 09: Eu vou ser como a toupeira : TrashBaile 10: A morte saiu à rua : Azevedo Silva 11: Sete fadas me fadaram : Lost Gorbachevs 12: Índios da meia-praia : Meu Melro 13: Teresa Torga : D. Chica + Heidi M 14: Arcebispiada : Presidente Drógado 15: De não saber o que me espera : Blandino e Sara Luz 16: Grândola Vila-Morena : Rudolfo Inevitavelmente Pirata «O 25 de abril não foi feito para esta sociedade, para aquilo que estamos agora a viver», dizia Zeca Afonso à RTP em 1984, mal imaginava ele como podiam continuar certeiras as suas palavras 36 anos depois da Revolução dos Cravos. E 36 anos depois, quando se comemoram 80 anos do seu nascimento, é com Zeca a exortar os jovens à insubordinação, à subversão, que arranca este «Zeca Pirata». Inevitavelmente pirata, porque o Zeca, para além da liberdade, cantava tudo aquilo que define uma humanidade fraterna e solidária, em tudo contrário a uma humanidade presa a conceitos de propriedade, material, intelectual e artística. O Zeca é património mundial, exemplo maior dos que lutam e acreditam num mundo mais justo, onde não têm lugar «nem muros, nem ameias», e em cuja concepção não existe o outro, existe o nós! E nós concretizamos Zeca Pirata, um projecto consensual para o colectivo Casa Viva assim que convidado a participar nos 80 Anos de Zeca: desafiar músicos/bandas que tocaram na casa a gravarem uma versão do cantautor: Saíram 15 versões de 13 músicas. Uma com pronúncia galega, de uma terra calcorreada por Zeca; outra com pronúncia austríaca, de um sítio onde Zeca chegou mesmo que nunca lá tenha ido. Umas mantendo o cariz popular, outras substituindo a guitarra acústica pela eléctrica, saboreando a intervenção com notas de rock, uns acordes de jazz, sons eléctricos, ruídos imprevistos e um ligeiro toque punk. O retoque final teve a cumplicidade do Blandino e a cronologia da edição dos álbuns a que as músicas pertencem é a única respnsável pelo alinhamento, com o Video Jogos, como excepção, a fechar. Suspeitamos que o Zeca havia de gostar do resultado. Obviamente disponível para cópia pirata.



quinta-feira, 12 de setembro de 2019

O falaciador das ametistas

Pay your respects to the vultures
For they are your future
Our fathers and mothers have
Our fathers and mothers have
They have failed to release us
They have failed to release us
They have failed to release us
Into the welcoming arms
Of the amethyst deceivers

So pay your respects
So pay your respects
Pay your respects to the vultures
And to the crows
And to the carrion crows
And to the ravens
Those graven ravens
And to the carrion crows
And to the rooks
And to the rook
And to the vultures
And to the vultures
And to the vultures

Pay your respects to the vultures
For they are our future
For they are your future
Our fathers and mothers have
Our fathers and mothers have
Our fathers and mothers have
They have failed to release us
Into the welcoming arms
Into the welcoming arms
Into the welcoming arms
Of the amethyst
Of the amethyst

The little mushrooms
The little mushrooms
Welcoming arms
Of the amethyst
Of the amethyst deceivers






A Maria João já canta aqui no meu leitor



https://www.discogs.com/Quinteto-Maria-Jo%C3%A3o-Quinteto-Maria-Jo%C3%A3o/release/2305330

oh baby
me thinks i saw u at the cafe this morning
just before getting my onions at the grocery store and my turpentine at the drug store
me likes your style
come tomorrow again and we'll cross our eyes again
until me becomes nasty and ask you to be my date
let me just be your german shepherd like a stooge!

domingo, 8 de setembro de 2019

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Rádio Sonoplasmática 18#
por Ruca Bourbon

Rádio Sonoplasmática 18# - 
Optimismos Na Europa, Comportamento Satanico e a Grande Revelação



Suzanne Cian; Anuncio; GE Beeping Dishwasher
Rege Cordic and Company, Omicron Visits Earth
Gravação de Campo - Diana canta fado com as crias da Patas, Porto
Gravação de Campo - Senhora no Metro do Porto ao telemóvel
Remistura de CD de revista braille do Espaço T
Gravação de Campo - Taxista da Foz do Porto
Escerto de Os Anormais: Necropsia De Um Cosmos Olisiponense; David Soares
Kenny Berg -  Virgil  (Prod. SisiI Byas   Crocodile Beats)
Roulote de Jogo; São João; Fontainhas; Porto
Ozel Turkbas - Organ Improvisation
Charles Bukovsky
Clorofila Azul  - Optimismos Na Europa
La Ballade des Pendus de François Villon
Eternal Sunshine of The Spotless Mind - Main Title
Aviso Comboio
Giant Swan - IFTLOYL
Warning signs of satanic behavior
Terebentina - Vem
Joker ri (Batman The Animated Series)
Personagem alcoolizado praça dos poveiros, porto
Valgeir Sigurðsson - Big Reveal
Trailer do filme Meteor
Conferência Inferno - Bazar Esotérico - Cetim
Gravação de Campo -  Radiocomunicação táxis porto
Varg - Red Line II (127 Sätra C) 4 w  Yung Lean [NE39]
Apupópapa
DJ Meddle -  mete-com-1
Gravação de Campo - Informações de direcção maia
Música Smile do trailer Joker

Projecto vindo do Apocalipse invasor dos campos electromagnéticos modernos, duas mentes traumatizadas por este desastre artificial unem-se e apresentam um ébrio imaginário , fruto de uma ingenuidade voluntária e da procura do desconhecido. Devaneios sonoros apresentados em formato ‘programa de rádio’ onde serão usados meios de transmissão contemporâneos e antigos, analógicos e digitais
para mostrar raridades do futuro, arquivos perdidos do passado,
apropriações ilícitas, desconstrução de discursos , Instrumentos
musicais experimentais, audio-colagens, versões obscuras, técnicas de
desorientação, plunderphonics, cut up, mensagens subliminares…