quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Skeletal Famine


"Skeletal Famine"
lápis de grafite, caneta preta e tinta acrílica sobre papel
35,5cm por 25,4cm
2015
ZMB

Do mesmo caderno que contém o 'Kalashnikov Flute' 
apresento-vos este trabalho terminado há poucos dias.
Este foi começado em 2002, eu estava a ler um livro 
sobre a história e mitos da alquimia e tive uma imagem mental
muito vívida que resolvi ilustrar com um desenho 
-- rascunho para um futuro quadro em tela ---
o mito que estava a ler.
Não me recordo agora com exactidão e 
teria que passar uma semana a reler o livro para encontrar o pormenor,
mas pensemos nesta narrativa:
"No dia em que o sol e a lua se unir lado-a-lado no céu
e quando a um homem (Sísifo talvez) é-lhe eternamente devorado o fígado por um abutre
ou um doente é operado por um médico usando a máscara da peste,
aparecerá um herói ou alquimista ou Sísifo (ele-próprio) que
conseguirá quebrar a maldição do eterno retorno 
simbolizado pelo fígado
eternamente regenerado eternamente consumido.
A revolução em suma."

O título deste trabalho é retirado duma frase de Peter J. Carroll:
"Contrast cordon bleu gluttony and skeletal famine"

Adenda 13 de Setembro:
sempre confundi o mito de Sísifo com o de Prometeu
mas é a Prometeu que é comido o fígado:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Prometeu


Sem comentários:

Enviar um comentário